Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

ICEBERG COM 660 QUILÓMETROS QUADRADOS DESPRENDE-SE DA ANTÁRTIDA

Mäyjo, 25.02.15

Iceberg com 660 quilómetros quadrados desprende-se da Antárctida

Cientistas estão a monitorizar um iceberg quase seis vezes maior que Manhattan, que se partiu na Antártida e segue agora para o oceano. Este é um dos maiores icebergs da atualidade.

Segundo explicou ontem a glaciologista Kelly Brunt, da NASA, à Reuters, o iceberg cobre cerca de 660 quilómetros quadrados e tem uma espessura de 500 metros. Conhecido como B31, o iceberg separou-se em Novembro do glaciar da Ilha de Pine, na Antártida

“É um daqueles que é tão grande que precisa de ser monitorizado”, explicou Brunt à Reuters. Segundo a cientista, o Governo norte-americano monitoriza cerca de 12 icebergs por dia.

Os cientistas estão especialmente interessados no B31 por dois motivos: o tamanho e a sua localização, no oceano antártico. “É um grande pedaço de bolo a flutuar no oceano antárctico”, explicou.

A quebra do glaciar que originou este iceberg foi detectada em 2011. Este glaciar tem sido estudado de perto nos últimos 20 anos, de resto, porque está a ficar mais fino a uma velocidade muito rápida, e pode ser um importante contribuidor para o aumento do nível do mar.

“Estamos a fazer algumas pesquisas nas correntes locais do oceano e a tentar explicar o movimento [do iceberg]. Surpreendentemente, há momentos em que ele está praticamente parada, e noutros começa a flutuar a grande velocidade”, explicou à Reuters o pesquisador Grant Bigg, da Universidade de Sheffield, Inglaterra.

Segundo os cientistas, porém, o iceberg não está a colocar em perigo nenhum navio. “Não há muito tráfego marítimo lá em baixo”, concluiu Kelly Brunt.

 

O desprendimento do B31

 

JORNAL SATÍRICO ALERTA NORTE-AMERICANOS PARA SEPARAREM LIXO EM DIFERENTES OCEANOS

Mäyjo, 25.02.15

onion_SAPO

A grande quantidade de resíduos enviados para os oceanos, rios e lagos e florestas, nos Estados Unidos, levou o jornal satírico The Onion, especialista em notícias falsas e sarcásticas, a alertar os norte-americanos para separarem o lixo em diferentes oceanos. “A EPA (Agência de Protecção Ambiental) pediu aos americanos para dividirem o plástico e vidro em oceanos separados”, ironizou o The Onion.

“Gostaríamos de relembrar os norte-americanos que o vidro transparente, castanho e verde deverá ser colocado no Oceano Atlântico, e os plásticos classificados com os números 1,2,4,6 e 7 pertencem ao Pacífico”, revelou o porta-voz “fictício” da EPA, Daniel Gray.

De acordo com a ironia do The Onion, “os lagos e rios estão reservados exclusivamente para produtos de papel”. “Pedimos que dobrem os cartões antes de os colocar nos milhares cursos de água doce do País”, continuou o The Onion.

Finalmente, a “notícia” explica que os computadores velhos, televisões, telemóveis e outros aparelhos electrónicos não desejados deverão ser colocados em florestas.

A notícia é uma clara crítica à falta de políticas de separação de lixo nos Estados Unidos.

Nações Unidas regulam sector das especiarias e das ervas aromáticas

Mäyjo, 25.02.15

Nações Unidas regulam sector das especiarias e das ervas aromáticas

Especiarias e ervas aromáticas estiveram em análise num comité da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (ONUAA), que se reuniu na cidade de Kochi, no sul da Índia, com o objectivo de desenvolver padrões de qualidade para a indústria de milhares de milhões de dólares, refere o AllAfrica.

Pimenta preta, baunilha e manjericão estão entre as especiarias e ervas que estiveram sob escrutínio na comissão, que pretende ajudar os pequenos agricultores a escolherem o que cultivar e a como o fazerem da melhor forma.

“Quando forem estabelecidas regras claras internacionalmente aceites, os consumidores poderão confiar na segurança e na qualidade das especiarias e das ervas que compram”, afirmou Ren Wang, director-geral adjunto do Departamento de Agricultura e Defesa do Consumidor da ONUAA.

O Comité do Codex sobre Especiarias e Ervas Aromáticas faz parte da Comissão do Codex Alimentarius criado em 1963 pela ONUAA e pela Organização Mundial da Saúde para desenvolver padrões internacionais de alimentação, directrizes e códigos de prática para proteger a saúde dos consumidores e práticas justas no comércio de alimentos.

O sector das especiarias e das ervas aromáticas tem vindo a desfrutar de um crescimento rápido há já algumas décadas, pois cresce a procura nas economias em expansão da Ásia e há cada vez mais um reconhecimento dos seus benefícios em termos culinários e de saúde.

“Embora já existam alguns padrões sobre especiarias e ervas aromáticas, não existe um organismo mundial que forneça padrões de qualidade em produtos específicos de especiarias e ervas aromáticas”, disse a ONUAA em comunicado.

Foto:  Michael Cavén / Creative Commons

MAIS DE 80% DOS GRANDES LAGOS NORTE-AMERICANOS ENCONTRAM-SE CONGELADOS

Mäyjo, 25.02.15

grandes lagos_SAPO

O gelo tomou conta de 84,4% dos cinco grandes lagos norte-americanos – Michigan, Superior, Huron, Ontario e Erie –, de acordo com o Chicago Tribune. Os cinco lagos juntam-se assim às cataratas do Niagara (ver fotogaleria) na lista de monumentos naturais afectados pela interminável vaga de frio que assola o Norte da América.

Segundo o Chicago Tribune, o lago Erie está completamente gelado, enquanto o lago Superior e Huron para lá caminham. O recorde de percentagem coberta por gelo dos lagos data de 1979, quando 94,7% destas depressões naturais ficaram congeladas.

O Lago Superior é o segundo maior do mundo em área total. Ele também tem 405 metros de profundidade e 12.100 quilómetros quadrados. O Huron é o quarto maior do mundo (229 metros de profundidade e 3.540 quilómetros quadrados) e o Michigam vem logo atrás (281 metros e 4.918 quilómetros quadrados).

 

Na lista em baixo estão identificados os 18 maiores lagos do mundo – liderada pelo Mar Cáspio (de acordo com a Wikipedia).

LagoÁrea totalProfundidade
máxima
VolumePaísesTipo de água
Mar Cáspio393.898 km²1.025 m78.200 km³RússiaCazaquistãoAzerbaijão,
IrãTurquemenistão
salgada
Lago Superior82.414 km²405 m12.100 km³E.U.A.Canadádoce
Lago Vitória68.870 km²81 / 85 m2.750 km³TanzâniaQuéniaUgandadoce
Lago Huron59.596 km²229 m3.540 km³E.U.A., Canadádoce
Lago Michigan58.016 km²281 m4.918 km³E.U.A.doce
Lago Tanganica32.893 km²1.470 m18.900 km³R.D.CongoTanzâniaZâmbiaBurundidoce
Lago Baikal31.492 km²1.637 m23.600 km³Rússiadoce
Grande Lago do Urso31.080 km²88 m2.236 km³Canadádoce
Grande Lago do Escravo28.438 km²614 m2.090 km³Canadádoce
Lago Erie25.745 km²64 m489 km³E.U.A., Canadádoce
Lago Winnipeg24.341 km²18 m283 km³Canadádoce
Lago Malawi23.310 km²706 m8.400 km³Malawi, Tanzânia, Moçambiquedoce
Lago Ontario19.259 km²244 m1.639 km³E.U.A., Canadádoce
Lago Balkhash18.428 km²26 m106 km³Cazaquistãodoce
Lago Ladoga17.703 km²255 m908 km³Rússiadoce
Lago Onega9.891 km²120 m280 km³Rússiadoce
Lago Titicaca8.135 km²281 m893 km³BolíviaPerudoce
Mar de Aral>6.630 km²32 m110 km³Cazaquistão e Usbequistão
(Era o quarto colocado até 1960)
salgada

 

 

 

 

AS PESSOAS QUE VIVEM COM MENOS DE 70 CÊNTIMOS POR DIA

Mäyjo, 25.02.15

Cerca de 1,2 mil milhões de pessoas vivem na pobreza extrema, com menos de 70 cêntimos por dia. Para chamar a atenção para estas pessoas, Renee C. Byer, vencedora do Prémio Pulitzer para fotografia em 2007, viajou pelos quatro continentes para fotografar algumas das mais pobres pessoas do mundo.

O resultado desta pesquisa é o livro Living on a Dollar a Day, um livro que pretende “agir para erradicar com a pobreza extrema no mundo”, explicou Byer. Segundo a fotógrafa, o livro foi influenciado pela visão de Tom Nazario, fundador da The Forgotten International e director-executivo do Center for Community Legal Education da Universidade de São Francisco.

Byer viajou até países como o Gana, Libéria e outras áreas de extrema pobreza, e conta agora algumas das histórias dos seus habitantes. Veja algumas das fotos do livro, que conta com uma introdução do Dalai Lama.

 

A pobreza extrema do mundo

 

15 monumentos Famosos e a sua área envolvente

Mäyjo, 25.02.15

<input ... >

<input ... >

<input ... >

Esta seleção de fotografias de monumentos do mundo inteiro mostram o quão importante é o enquadramento, perspetiva e iluminação numa fotografia.

Todos esses pares de fotos são do mesmo monumento, mas as mudanças de perspetiva podem fazê-los parecer maiores ou não. As Portas de Brandenburg e Mount Rushmore são majestosos quando enquadrados de uma certa forma, mas podem parecer menos imponentes quando eles não são o foco central da fotografia.

A composição das imagens mostra quanto enganadora pode  ser uma fotografia. A maioria de nós provavelmente imagina que o Taj Mahal está rodeado por jardins imaculados porque é sempre fotografado a partir do mesmo ângulo. Mas o lixo, nas lixeiras por trás dele, contra outra coisa. Qualquer um que não foi a Niagara Falls pode pensar que elas estão cercadas por uma floresta nacional bonita, em vez de uma série de prédios altos, construídos na proximidade de um penhasco.

É claro que nem todas estas fotos reduzem a grandiosidade dos monumentos. A Acrópole, o Arco do Triunfo e o Central Park, em Nova York, parcem melhor, ou pelo menos maiores na segunda foto. As fotos com zoom-out da Acrópole e do Arco só servem para realçar o modo como esses marcos são pontos focais de suas cidades.

h / t: thepobv

1. As Grandes Pirâmides de Gizé

Créditos de imagem: Edward Ewert

Créditos de imagem: Raimond Spekking

2. Stonehenge

Créditos de imagem: Amanda Branco

Créditos de imagem:  e-architect.co.uk

3. Taj Mahal

Créditos de imagem:  Marvin Bartels

 

Créditos de imagem:  imgur.com

4. As Portas de Brandemburgo

Créditos de imagem:  Paul Gamble

Créditos de imagem:  imgur.com

5. Sagrada Familia

Créditos de imagem: Rainer Walter Schmied

Créditos de imagem:  Aldas Kirvaitis

6. Niagara Falls

Créditos de imagem: imgur.com

Créditos de imagem: imgur.com

7. A Acrópole

Créditos de imagem:  imgur.com

Créditos de imagem:  imgur.com

8. Monte Rushmore

Créditos de imagem: Lanis Rossi

Créditos de imagem: imgur.com

9. A Cidade Proibida

Créditos de imagem: panoramio.com

Créditos de imagem: imgur.com

10. Hollywood

Créditos de imagem: imgur.com

Créditos de imagem: imgur.com

11. Santorini

Créditos de imagem:  paowmagazine.com

Créditos de imagem:  Csilla Zelko

12. Mona Lisa

Créditos de imagem: Pascal Le Segretain

Créditos de imagem:  traveljapanblog.com

13. Central Park, New York City

Créditos de imagem: James

Créditos de imagem:  Sergey Semenov

14. O Arco do Triunfo

Créditos de imagem: Fotografia Kajo

Créditos de imagem:  imgur.com

15. A Pequena Sereia

Créditos de imagem:  wallpaperswiki.com

Créditos de imagem:  cooldaddypop.com

SERÁ QUE AS CRATERAS MISTERIOSAS DA SIBÉRIA FOREM CRIADAS PELAS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS?

Mäyjo, 25.02.15

siberia_SAPO

Quatro novas crateras apareceram no permafrost siberiano do norte da Rússia, levando os cientistas a pensar que o gás metano terá surgido debaixo da terra devido às alterações climáticas e aumento das temperaturas. As crateras foram vistas na península de Yamal e, uma delas, entrou num jogo de luzes, o que leva os cientistas a acreditar que existem bolsas de gás no solo e que estão a ser impulsionadas para a atmosfera.

Segundo os cientistas, as crateras estarão a ser abertas devido às temperaturas elevadas e inesperadas, que levam o solo gelado a derreter e o gás a causar explosões. Nos próximos tempo, acrescentaram ainda os especialistas, o número de crateras pode aumentar – cerca de 30 novas crateras estarão por descobrir.

Uma das novas crateras está rodeada por 20 buracos mais pequenos a apenas 9,6 quilómetros de uma central de gás. “É preciso investigar urgentemente este novo fenómeno, devido a questões de segurança”, explicou Vasily Bogoyavlensky, director-adjunto do Oil and Gas Research Institute e que faz parte da Academia Russa de Ciências. “Já descobrimos oito crateras na área Árctica”, explicou Bogoyavlensky ao Siberian Times.

 siberia_k.jpgsiberia_d.jpgsiberia_h.jpgsiberia_a

siberia_e.jpg